quinta-feira, 26 de março de 2015

IBGE - Cancela contagem da população


Fonte: Valor Econômico

IBGE cancela contagem da população após corte no orçamento de 2015

Pesquisa estava prevista inicialmente para este ano, mas já havia sido adiada
  
Dentro do ajuste do governo Dilma Rousseff, o corte no orçamento federal já afeta as atividades que serão desenvolvidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A contagem da população brasileira prevista para o próximo ano foi cancelada "em razão de contenção orçamentária", afirmou a direção em comunicado interno.

Obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo, o informe foi colocado à disposição de todos os funcionários na intranet da instituição na terça-feira (24).

Na mensagem, a direção do IBGE, presidido por Wasmália Bivar, afirma que o Ministério do Planejamento avisou, na segunda-feira desta semana, que será "impossível realizar a contagem populacional em 2016". Inicialmente prevista para ocorrer em 2015, a pesquisa já havia sido adiada para o próximo ano também por falta de recursos.

A última contagem foi realizada no Censo de 2010. Como não há nova previsão, é possível que o estudo só venha a ser feito no Censo de 2020.

Os dados da contagem populacional são repassados pelo IBGE à União em razão de uma exigência da Lei 8.443, de 16 de julho de 1992. As informações são usadas como base para o cálculo do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Sem a realização da pesquisa, o IBGE envia apenas as estimativas da população, que passam a servir de base para o cálculo da verba a ser recebida.

O corte no orçamento do valor destinado ao levantamento populacional já havia sido informado em setembro do ano passado, mas a direção do IBGE tentava, desde então, reverter a decisão do ministério ao qual está vinculado.

Intitulado "Corte no Orçamento confirma impossibilidade de realização da Contagem da População em 2016", o comunicado interno frisa que a decisão foi tomada "a despeito de a instituição estar preparada tecnicamente para a realização" da pesquisa.

O estudo, que envolve cerca de 80 mil recenseadores, tem custo estimado de R$ 1 bilhão. Para realizar a pesquisa em 2016, o IBGE precisava começar agora a planejar a aquisição de infraestrutura e a contratação de temporários. Além da contagem, outras pesquisas podem estar ameaçadas neste ano caso o governo não aprove a realização de concurso para reposição de servidores aposentados, afirmou Wasmália a chefes de unidades estaduais do IBGE em videoconferência realizada ontem à tarde, conforme o Estado apurou. A assessoria do instituto, porém, negou a declaração.

Foco

A direção informou no comunicado que o IBGE "agora concentrará seus esforços no planejamento do Censo Agropecuário 2016 e na redefinição do plano de trabalho da Base Territorial e do Cadastro de Endereços". O Censo Agropecuário foi realizado pela última vez em 2007. Boletim interno de setembro já informava que os cortes no Orçamento da União de 2015 também impediriam a realização da pesquisa.

"A realização do Censo Agropecuário é de extrema relevância para o setor e para vários outros aspectos da vida nacional, que vão desde questões sociais importantes, como segurança alimentar e agricultura familiar, a questões macroeconômicas, como os preços dos alimentos e a balança comercial", afirmou o documento.


"É fundamental que todos se mantenham mobilizados e estruturados em torno destas operações que vínhamos desenvolvendo", acrescentou a direção do órgão. Procurada, a assessoria do Ministério do Planejamento não foi encontrada.

Fonte: Portal R7

E reparem na subida do gráfico do desemprego com o resultado da taxa divulgada hoje da PME: O que será que aconteceu? Ah, é culpa dos energéticos!
http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view=noticia&id=1&busca=1&idnoticia=2856


segunda-feira, 23 de março de 2015

Censo no Estrangeiro IIII - Equador

O Censo no Equador é feito pelo INEC - Instituto Nacional de Estatística e Censos

Logotipo do Censo realizado em 2010

Treinamento dos recenseadores

Recenseadora fazendo entrevista. No Equador, o Censo também é feito na prancheta e no papel como na Argentina e no México.

República do Equador com sua divisão política

Adesivo para identificar a casa que foi recenseada! Porque o IBGE não fez algo semelhante? Ah, o governo não tem grana pra isso! Mas para o astronômico salários de políticos e para a corrupção tem!

Pilhas e pilhas de questionários de papel para serem distribuídos aos recenseadores na província de Orellana

Soldado fazendo a segurança dos questionários. Será que são os papéis já preenchidos? Se for, realmente tem que garantir a segurança e o sigilo das informações.

A cor do colete do recenseador é bem parecida com o colete do IBGE.

quinta-feira, 19 de março de 2015

PNAD - Pessoas de fora - Migração

Nascidos fora de Canoas (em outras cidades gaúchas pelo que eu lembro):

-Porto Alegre
-Gravataí
-Esteio
-Campo Bom
-Caxias do Sul
-Butiá
-Vista Alegre do Sul
-Uruguaiana
-Alegrete
-Encruzilhada do Sul
-São Leopoldo
-Tupandi
-Taquara
-Torres
-Rio Grande
-Passo Fundo
-Santa Maria
-Barracão
-Cacequi
-Camaquã
-Seberi
-Santana do Livramento
-Bagé


De outros estados:

-Santa Catarina (Chapecó,Criciúma,Joinville...)
-Paraná
-São Paulo

Estrangeiros:

-Portugal
-Argentina
-Uruguai


domingo, 15 de março de 2015

PNAD Anual - Melhor setor


Este foi o melhor setor que fiz durante toda a PNAD Anual. Fica no bairro Fátima em Canoas e abrange um conjunto habitacional feito pela Prefeitura a fim de remover famílias de áreas de risco.
Fiz 15 entrevistas, com todo mundo respondendo direitinho. Nenhuma recusa, nem vago e nem inexistente. Foi um setor perfeito e ideal! Mas demorei um pouco pra fechar, pois restavam alguns fechados que estava ruim encontrar os moradores.



E este foi o 2º melhor setor que eu fiz, em Gravataí. Das 15 entrevistas que eu fiz, tinham apenas 2 casas vagas. Também não houve recusa e nem casa inexistente.

OBS: Quando o blog tiver 100 mil visitas, farei um post comemorativo.

quarta-feira, 11 de março de 2015

PNAD Contínua - Estréia

A PNAD-C é a terceira pesquisa a qual eu trabalho no IBGE. Antes foi a PME e a PNAD anual.
Logo no 1ª dia num setor do bairro Igara aqui em Canoas, a buzinga do PDA não colaborou.
Na 1ª entrevista o PDA trava e sequer marca os quesitos direito.

A senhora que eu estava entrevistando me perguntou:

-Está dando problema na maquininha? Pois está demorando, né?

Eu eu disse:

-É. Pois é. Realmente a máquina está muito lenta e travando. Vou ter que falar isso pro chefe e pedir pra trocar!

Por sorte era apenas um casal de aposentados, cuja entrevista poderia ser mais rápida, mas demorou um pouco mais devido a lentidão do software da PNAD-C e do PDA que é de uma colega minha da equipe que está de férias no momento. Não sei como ela conseguia trabalhar com esse PDA.

E depois eu falei:

-É, acho que não tem condições de seguir assim. Está travando muito esse negócio. Se eu pegar famílias maiores e com gente que trabalha, vai demorar muito.

Terminei a entrevista do casal, e a senhora me desejou bom trabalho e que o chefe me troque a máquina, pois não poderia seguir desse jeito nas demais entrevistas.

Mas resolvi tentar pelo menos mais uma entrevista.
E novamente o PDA não colabora, travando muito e não marcando os quesitos novamente. E dei sorte, pois foi em uma outra casa com apenas 2 moradores, uma senhora aposentada e um sobrinho dela que trabalha fora. Me apavorei, pois o questionário não andava.

Depois dessa entrevista, aí sim. resolvi parar e voltar para casa almoçar pois era 11:10 a.m. a recém.
De tarde nem cheguei a trabalhar. Fiquei em casa.
No dia seguinte, vou descarregar as 2 entrevistas que tinha feito e o supervisor me troca o PDA, me dando o mesmo que utilizei na PNAD anual, com a máscara e o software da PNAD Contínua.

Agora sim, melhorou bastante o desempenho do software, travando bem menos que no PDA da minha colega, o que me rendeu 7 entrevistas em 1 dia no setor! Mas permanece um pouquinho lento, se comparado ao software da PNAD anual!


sexta-feira, 6 de março de 2015

IBGE - Depois da PNAD anual irei para a PNAD contínua



No momento estou desde o dia 30 de Janeiro sem fazer entrevista em campo. Isso porque estou finalizando a codificação dos questionários da PNAD anual junto com o supervisor. Colegas meus foram para as pesquisas econômicas e eu (e talvez uma outra colega) irei para a PNAD Contínua. Ou seja, vou seguir nos domicílios!


Então, vamos ver do que se trata:

Produz informações contínuas sobre a inserção da população no mercado de trabalho e suas características, tais como idade, sexo e nível de instrução, permitindo, ainda, o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País através da produção de dados anuais sobre trabalho infantil, outras formas de trabalho e outros temas permanentes da pesquisa, como migração, fecundidade etc.
A pesquisa é realizada por meio de uma amostra de domicílios, extraída de uma amostra mestra, de forma a garantir a representatividade dos resultados para os diversos níveis geográficos definidos.
A cada trimestre, a PNAD Contínua investiga 211344 domicílios particulares permanentes em aproximadamente 16000 setores censitários, distribuídos em cerca de 3500 municípios. A PNAD Contínua contempla maior número de municípios, de setores censitários e de domicílios investigados em relação à PNAD, que, em 2012, pesquisou 147203 domicílios em 9116 setores censitários, distribuídos em 1100 municípios brasileiros. A PNAD Contínua permite, portanto, um ganho considerável na precisão das estimativas, especialmente nas áreas rurais.

Periodicidade: Trimestral para indicadores de trabalho; anual para o trabalho infantil, outras formas de trabalho e demais temas permanentes da pesquisa; e variável para os temas suplementares.
São 5 entrevistas na mesma casa, uma a cada 3 meses.

Abrangência geográfica: Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação, 20 Regiões Metropolitanas que contêm Municípios das Capitais (Manaus, Belém, Macapá, São Luís, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Vale do Rio Cuiabá, e Goiânia) e a Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina.

Mais detalhes do funcionamento neste post:
http://madrugaibge.blogspot.com.br/2015/01/ibge-pnad-continua-como-funciona.html

Possui várias perguntas equivalentes da PME e algumas que são diferentes como trabalho voluntário, se a pessoa cuida de outras em casa ou fora, trabalho cuja remuneração é em mercadorias ou benefícios, etc.

Quanto a codificação da PNAD anual faltam apenas 2 casas em todo o estado do RS. Foram finalizados 9758 domicílios de 9760 com entrevista realizada. Ou seja, foram codificados 99,98% até às 08:14:49 p.m. do dia 07/03/2015.
Mas tem UE que codificou apenas 30,59%.
Na agência de Canoas a codificação foi finalizada.

terça-feira, 3 de março de 2015

Vila do Chaves - No shopping de Canoas


Evento inédito da Turma do Chaves no Canoas Shopping 

Atração voltada às crianças tem entrada gratuita e acontece pela primeira vez no Estado. 
Até 10 de março o Canoas Shopping está com uma atração inédita no Rio Grande do Sul: a Turma do Chaves, uma reprodução da vila dos famosos personagens da TV, com diversos jogos e brincadeiras.   

O apelo para a brincadeira já começa com o cenário interativo, que é uma reprodução da Vila do Chaves inspirada na animação da famosa série de TV e com o espaço Espera Divertida, onde toda a família pode assistir o programa do Chaves enquanto as crianças esperam para brincar.   
A partir daí as atrações são: oficina de pintura Colorindo na Escola do Professor Girafales, com desenhos de Chaves e sua turma para colorir; Jogos na casa do Seu Madruga, espaço com os jogos Chaves Equilibrista e Pula Chaves; Gincana na casa da Dona Clotilde, onde a brincadeira é acertar o famoso sanduíche de presunto no barril do Chaves; Escorregador na casa da Dona Florinda, em que as crianças podem escorregar dentro do cenário e o Pátio Animado, com bolas pula-pula e a brincadeira “Os Encantados”.   

O evento, que é gratuito, é voltado a crianças de quatro a 12 anos e está aberto de segundas a sábados, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 11h30min às 20h até o dia 10 de março. 

Muito legal. Bacana isso!  






Na tela ali passava o episódio do Julgamento do Chaves (o gato ou o Quico)?

Na tela, o episódio do "Massacote". Tmmbém é possível tirar foto "dentro" do barril ali com o rosto de fora apenas.

 Fila para entrar


Acho que deveriam ter esses desenhos para as crianças colorirem, seja no local ou em casa mesmo:

Na folha em branco ali podiam desenhar o café da manhã do Chaves, uma vaca pastando, a cholofômpila, a xiforímfula...


domingo, 1 de março de 2015

Sangue - Custo para doar por aqui


No verão todo mundo fala que os estoques do banco de sangue quase se esgotam porque reduz bastante o número de doadores devido a viagens de férias. Já eu tenho mais um motivo: o custo com transporte até o hemocentro.

O hemocentro mais próximo de Canoas fica em Porto Alegre, lá na Av. Bento Gonçalves (longe pacas, quase em Viamão).

Como aumentou a passagem de ônibus em Porto Alegre, Canoas e em várias cidades do país recentemente, vamos ao custo para se chegar até lá e voltar:

Trem (ida e volta): R$ 3,40 (1,70 cada)
Ônibus em POA (ida e volta): R$ 6,50 (3,25 cada)
Total: R$ 9,90

Ou seja, aqui o sujeito gasta praticamente 10 pilas* somente para ir doar sangue.

Também, falam bastante dos critérios para doar sangue, como ser maior de 18 anos, não ter possuído certas doenças, peso mínimo de 65 Kg, etc. Mas nunca falam que deve-se ter grana para passagem de trem e ônibus além de ser muita mão se deslocar até quase Viamão para doar sangue. Somente eu falo sobre o custo neste blog em todo este país!
Se tivesse vans e ônibus de graça para doadores até lá, com certeza eu iria.

E segundo boatos, a passagem em Porto Alegre pode aumentar para R$ 3,35 em junho devido ao aumento dos combustíveis, então o custo ficaria em R$ 10,10 no total. Isso se a Trensurb não inventar de aumentar a passagem também. Ou seja, é muito gasto!
Além disso costuma fazer um calorão do inferno (do Palhaço do Satanás) nessa época por aqui além dos ônibus em POA serem desconfortáveis e não terem ar-condicionado. Após doar sangue, a pessoa pode sentir-se mal num ambiente desse.

Fazem altas campanhas para mais doadores, mas sem levar em conta esse custo e a mão* para se chegar até o hemocentro.

*Pilas: Sinônimo de grana em reais por aqui.
*Mão: Transtorno para chegar a um determinado destino distante.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Canoas Retrô - XIII

A corrupção e a safadeza na política dava sinais já em 1955, cerca de 9 anos antes da Ditadura Militar, tornando-se endêmica em todo o país ao longo dos anos. Na foto embaixo, obras do hospital Nossa Senhora das Graças em 27/09/1955


Obras da igreja da Imaculada na vila Rio Branco em 1958, hoje bairro.

Fonte: Livro Canoas - Anatomia de uma cidade - Pfeil, Antônio Jesus - Volume II

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

PNAD - Codificação

Terminada as entrevistas em campo, na rua, nos setores... estamos na fase de codificação dos questionários, seja os meus ou de colegas ou ainda, ex-colegas.

A codificação é feita para pessoas que trabalham em alguma atividade remunerada ou não, para as que pararam de trabalhar há menos de 5 anos e na Mobilidade Sócio-Ocupacional, se o pai ou a mão da pessoa trabalhavam na época quando tinha 15 anos e se morava com o pai, a mãe ou com os dois.

São verificados a ocupação, a atividade do empreendimento que a pessoa trabalha, o tipo de estabelecimento e o local de trabalho (se é em empresa, na rua, no próprio domicílio, em veículo automotor...)
Feito isso, é posto código na ocupação e atividade do empreendimento.

Exemplo 1: Uma pessoa trabalha de vigilante numa fábrica de máquinas de escrever por uma terceirizada de segurança.

Ocupação: Vigilante
Atividade: Empresa de segurança

Ex. 2: Uma pessoa de diarista em casa de família

Ocupação: Doméstica diarista
Atividade: Serviço doméstico remunerado

Ex 3: Um maquinista da Trensurb

Ocupação: Maquinista de trem
Atividade: Transporte ferroviário de passageiros

E por aí vai.

Tem erros que somente é possível retirar a entrevista do sistema, colocar de volta e corrigir no PDA. Depois, transmitir novamente e depois sim, liberar novamente para a codificação.

Por exemplo, ocupação de auxiliar de pedreiro, conta própria e como estabelecimento: Domicílio de empregador, patrão, sócio ou freguês.
Tem que ser: Empregado ou em empresa de construção civil ou local designado pelo empregador, cliente ou freguês.

Ocupação: Empregada doméstica
Posição ocupação: empregado (tem que ser trabalhador doméstico)
Estabelecimento: Via ou área pública (tem que ser domicílio de empregador, patrão ou freguês)

Ocupação: Padeiro
Posição ocupação: Empregado
Estabelecimento: Veículo automotor (tem que ser loja, oficina, fábrica, comércio...)

Ocupação: Dona de casa
Atividade: Do lar (isso não é atividade remunerada)
  
Ou seja, é possível se perder no meio de tanto número de setores e de domicílios.

E ainda, no caso da ocupação e atividade da pessoa não estiver clara, tem que ligar pra pessoa e tentar pegar essa informação novamente.

Exemplos:

Ocupação: Agricultor (do quê?)
Atividade: Campo (cultivo de quê?)

Ocupação: Operário (do quê?)
Atividade: Fábrica (do quê?)

Apuração no RS até 09:15:02 p.m. de 26/02/2015:

Entrevistas realizadas: 9751
Domicílios codificados: 9623
Porcentagem: 98,69%