quarta-feira, 23 de abril de 2014

segunda-feira, 21 de abril de 2014

IBGE - Querem ser contratados?

Os novos candidatos querem ser contratados?É óbvio que eu não vou deixar!Vou afetar todo o sistema de informática do IBGE desde as pesquisas até a contratação de pessoal! Irei voltar o calendário de todo o sistema para 31/12/1899 e se não conseguirem me remover até meia-noite, aí sim! Voltarei para 01/01/1800, numa época que sequer pensaram em inventar o computador e com isso, todos os dados irão desaparecer por completo!
Para recuperar, somente esperando 194 ANOS para que o sistema esteja datado em 01/01/1994, ano em que surgiu a Internet neste país tupiniquim!
Enquanto não passa esse curto período de tempo, será impossível estar fazendo qualquer pesquisa, contratado pessoal...

Direção do IBGE tenta impedir exoneração coletiva

O conselho diretor do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reúniu-se na tarde da última sexta-feira (11/4), com o corpo técnico da instituição num esforço de tentar evitar que haja um pedido de exoneração coletivo. Em carta ao conselho, 18 coordenadores e gerentes estratégicos de pesquisas importantes da instituição ameaçavam entregar seus cargos caso a direção não voltasse atrás na decisão de suspender as divulgações da Pnad Contínua até janeiro do ano que vem.
A presidente do IBGE, Wasmália Bivar, disse em entrevista que ainda não pode afirmar se conseguirá evitar a saída coletiva dos coordenadores, mas que vai explicar as motivações para a decisão. A medida já motivou o pedido de exoneração da diretora de Pesquisas do IBGE, Marcia Quintslr, e da coordenadora-geral da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence), Denise Britz do Nascimento Silva. Ambas integravam o conselho diretor do IBGE, ao lado de Wasmália e de outros cinco membros.
“No momento, não posso afirmar (que não haverá debandada), mas tenho certeza que após uma conversa e após explicarmos um pouco melhor as nossas motivações, acredito que eles vão reverter, em função dos seus próprios compromissos com o IBGE”, afirmou Wasmália.
A presidente do instituto disse que cabe aos gestores tomarem as decisões difíceis, que não podem ser tomadas pela área técnica. “A última decisão, que foi o adiamento da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares), não foi uma decisão técnica, foi uma decisão institucional. Quem toma as decisões institucionais é o corpo gestor da casa. Nunca a área técnica. E a área técnica faz muito bem de estar sempre defendendo a manutenção de tudo. Esse tipo de manifestação não me surpreende. Mas tem que se considerar que não é uma decisão técnica, é uma decisão institucional”, ressaltou.
Entre os coordenadores que ameaçaram entregar seus cargos numa carta enviada ao conselho diretor estão Eulina Nunes dos Santos, responsável pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e Cimar Azeredo, responsável pelas taxas de desemprego apuradas pela própria Pnad Contínua e pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME).
“O nosso corpo técnico tem um enorme compromisso com a casa, com seus projetos e com as suas informações. Tenho certeza de que vai prevalecer, na verdade, é a responsabilidade com isso”, considerou Wasmália.
Segundo ela, a carta é uma reação legítima à saída da diretora de Pesquisas, funcionária de carreira do IBGE. “Além disso, o conselho diretor fez algo que foi um pouco diferente do que usualmente fazemos. Usualmente, informamos à casa nossas decisões e depois informamos o público externo. No entanto, diante da gravidade do problema, desta vez, nós invertemos”, lembrou.
O anúncio sobre a suspensão da Pnad Contínua foi feito por Wasmália à imprensa, logo após a divulgação dos dados referentes ao terceiro e quarto trimestres de 2013. A imprensa foi alertada antes dos servidores do instituto. “Temíamos que essa notícia surgisse antes de o próprio IBGE anunciá-la. Era muito importante que o IBGE fizesse esse anúncio. Agora, em relação às equipes técnicas, elas não foram devidamente informadas. Não tivemos oportunidade de nos reunir com elas e discutir nossas motivações. Isso vai ser feito agora”, reconheceu.


Fonte: Agência Estado

Não adianta, é o Palhaço do Satanás fazendo influêeeeeeeeeeencia! Vamo IBGE! Tente impedir a debandada geral de diretores! É óbvio que o payaso não vai deixar! Podem vazar todos! Xispa!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Palhaço voltou com tudo! Temei-vos IBGE!

Nos computadores e PDAs do IBGE vai acontecer exatamente o mesmo nesse vídeo!

O Cramunhão voltou com tudo!

O palhaço é tão ruim e ordinário que hipnotiza criancinhas no Japão nesse vídeo sem dó nem piedade!


segunda-feira, 14 de abril de 2014

IBGE - Sobe no telhado

Oi, eu sou o Palhaaaaaaaaço do Satanááááss! Vim aqui exclusivamente para atrapalhar as pesquisas do IBGE e infectar seus PDAs enfadonhos! Não adianta! Quanto mais tentar me remover, mas o PDA vai trancar, afinal sou o famoso Tranca Street! Há, há, há, há, haaaaa! Aaaii, ai! Eu adoro atrapalhar!
Se conectar esse PDA num computador, vai afetar todo o sistema informatizado do IBGE! Será muito pior! Irei voltar o calendário para 31/12/1899 e ao bater meia-noite, irá para 01/01/1800! Ou seja, o palhaço vai ficar tão encrustado que será muito difícil remover. Todos os dados vão sumir como num passe de mágica! De todos os Censos! De todas as pesquisas, sem exceção! Não restará nada, afinal estaremos no ano de 1800, época que nem existia o IBGE! O sistema vai ficar todo abilolado e o IBGE não poderá estar divulgando nenhuma... pesquisa! Hahahahahaha!

Após a diretora de Pesquisa do IBGE pedir demissão após pesquisa suspensa, 18 coordenadores ameaçam debandada geral. O Pnad Contínua era o programa de pesquisa por amostra de domicílios, que mostrava índices de desemprego maiores do que aqueles usando apenas as grandes metrópoles.

O estopim da crise foi o requerimento da ex-ministra e senadora petista Gleisi Hoffmann, que colocou em dúvida a capacidade do instituto de fornecer os dados de renda domiciliar per capita, que balizaria a distribuição dos recursos do Fundo de Participações do Estado.

Os técnicos do IBGE, instituição com 143 anos de vida, consideraram “inaceitável” a suspensão do Pnad até janeiro do ano que vem, sendo que vinham trabalhando nas pesquisas há anos. Para Susana Drummond, diretora da Associação dos Funcionários do IBGE (Assibge), a mudança decorre de interferência política: “A suspensão coloca em xeque a autonomia técnica do IBGE e é uma ingerência do governo”.

O editorial do GLOBO, após lembrar que a instituição já foi alvo de manobras e “marteladas” de índice na época da ditadura, conclui:


A comparação com a Argentina é pertinente. Quando a inflação começou a incomodar mais por lá, o governo preferiu se intrometer no Indec (Instituto Nacional de Estatística e Censos), a instituição análoga ao IBGE que calculava os índices. Foi a pá de cal na liberdade dos argentinos.

A revista britânica The Economist acabou retirando o país da lista mundial de inflação, pois os dados oficiais não mais correspondiam à realidade. Até hoje é assim: a Argentina tem uma inflação perto de 30%, mas o governo diz que está perto de 10%. Ninguém acredita, mas as instituições foram destruídas.

Será que o Brasil vai seguir na mesma direção? Não custa lembrar que a Argentina tem uma classe média razoável e sempre teve uma população mais educada que a nossa. Não foi suficiente para impedir a desgraça bolivariana. Que o Brasil tenha melhor sorte e consiga combater o estrago que o PT vem causando a nossas instituições. Outubro de 2014 parece ser o prazo limite para reverter o processo…

Fonte:
http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/o-ibge-sobe-no-telhado/

O IBGE está assim! Totalmente dominado pelo Capeta, pelo Coisa Ruim, pelo Cramunhão, por el Payaso del Satan! Vai ser brabo se livrar!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

IBGE - Crise! Pre-ri-go!

Essa caveira significa... uma caveira!

Marcia Quinstlr não concordou com decisão de parar divulgação de pesquisa de desemprego

RIO - A diretora de pesquisa do IBGE Marcia Quintslr pediu para sair após o instituto de pesquisa informar nesta quinta-feira que a Pnad Contínua será interrompida até janeiro. Segundo a presidente do IBGE, Wasmália Bivar, essa diretora não concordou com a decisão do colegiado de parar com a pesquisa em virtude da exigência da legislação do Fundo de Participação dos Estados (FPE) de reformular a metodologia e o requerimento de senadores de equalizar margens de erro entre os 27 unidades da federação.
— Ela ficou dividida e achou o remédio duro demais. O colegiado se reuniu diversas vezes e decidiu que não correríamos o risco de errar com as pesquisas e também perder a credibilidade da pesquisa. Não são decisões que se tomem facilmente — afirmou Wasmália.

Segundo o IBGE, há carência de pessoal para cuidar das mudanças. A Associação dos Servidores do instituto criticou a suspensão da pesquisa na sua página na internet:
“Trata-se de um desrespeito aos trabalhadores do IBGE, na medida em que as decisões anunciadas pela Direção representam o remodelamento de uma pesquisa que está em andamento, sem qualquer consulta aos que planejam e executam.”
A presidente do IBGE disse que o instituto convive com uma carga pesada de pesquisas e com quadros reduzidos, com muitas aposentadorias. Ela lembra que a equipe da Pnad Contínua conta hoje com apenas sete pessoas na coordenação da pesquisa.
— Era uma questão. Tinha gente que achava que o remédio era duro demais. O mundo não é feito de melhores e de piores escolhas, às vezes é de menos piores escolhas.
Ao ser indagada se há ingerência política no adiamento da pesquisa, a presidente do IBGE afirmou:
— O IBGE de ontem é o mesmo que o de hoje. Ontem (quarta-feira) divulgamos que a inflação foi a maior em 11 anos. A falta de cumprimento da lei da FPE tem consequências graves. O cumprimento dessa lei da FPE é fundamental e temos que lidar com a lei com o devido rigor.

Fonte: http://oglobo.globo.com/economia/diretora-do-ibge-sai-do-cargo-apos-pesquisa-ter-sido-interrompida-12158549#ixzz2yXjDzvI9 

IBGE vai interromper pesquisa de emprego mais abrangente para readequar metodologia

Senadores Armando Monteiro e Gleisi Hoffman enviaram requerimento ao instituto, preocupados com influência de novos dados da Pnad Contínua no rateio de Fundo de Participação dos Estados e Municípios, baseado na renda ‘per capita’

RIO - A presidente do IBGE, Wasmália Bivar, informou nesta quinta-feira que a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua será interrompida até janeiro do ano que vem por readequação de metodologia requerida por lei. O IBGE recebeu requerimento dos senadores Gleisi Hoffman (PT-PR) e Armando Monteiro (PTB-PE) mostrando “preocupação com os dados que estão sendo coletados e que estão sendo divulgados possam gerar avaliação equivocada por parte dos Estados” no rateio do Fundo de Participação dos Estados e Municípios. Atualmente a repartição utiliza como base o PIB per capita, mas a Lei complementar número 143/2013 prevê que seja substituída pela renda domiciliar per capita.
Essa substituição implica a existência de intervalos de confiança (margens de erro) que antes não ocorriam e que variam de acordo com a unidade da federação. Por exemplo, pela Pnad tradicional de 2012, o rendimento domiciliar per capita médio de São Paulo tinha uma margem de erro de 6%, no Acre era de 16,7%. Um dos critérios para o estado ou município receber recursos do FPE é a renda e a capacidade de gestão dos recursos. Os senadores querem equalizar esses intervalos para evitar contestações judiciais.

Wasmália explicou que a utilização do PIB per capita era defendida pelo instituto porque não apresentava intervalos de confiança e era produzida em conjunto com técnicos estaduais, aumentando a transparência dos dados. Ela explicou que inicialmente foi interpretado que o prazo seria dezembro de 2015, mas, na realidade, a lei prevê a mudança até dezembro de 2014. Segundo ela, faltam recursos humanos para dar conta do aumento de amostras e testes requeridos com a alteração.
— Nosso objetivo é fazer uma parada técnica. Teremos que estudar como fazer a mudança do intervalo de confiança entre as UFs. Eles querem que seja equalizado para evitar contestações judiciais — afirma Wasmália. — Com certeza a pesquisa é um avanço e isso não macula a excelência da Pnad Contínua.
A presidente do IBGE disse que os pesquisadores continuarão em campo para a Pnad Contínua e que será necessário aumentar as amostras e testes. Estão mantidas para este ano a Pnad nos moldes tradicionais. A Pesquisa de Orçamentos Familiares está prevista para janeiro, assim como a retomada da pesquisa contínua, com divulgação mensal de alguns dados a respeito do mercado de trabalho brasileiro.

Crise do IBGE assusta os que querem o órgão independente

Normalmente, eu faço o balanço da semana no comentário da CBN Brasil de sexta-feira, mas desta vez, os ouvintes pediram que eu comentasse a crise no IBGE. Foram vários e-mails e, por isso, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg pediu que eu me concentrasse nesse ponto. Alguns ouvintes disseram que temem que aconteça aqui o que houve na Argentina.

A crise começou quando foi suspensa a pesquisa da Pnad Contínua. Na quinta-feira foram divulgados dados sobre o mercado de trabalho. Eles mostraram que a taxa média de desemprego no Brasil ficou em 7,1% em 2013. Os números por regiões, no entanto, mostram distorções: no Sul, por exemplo, está em 4,2%; no Nordeste, em 9,5%. O mercado de trabalho melhorou muito nos últimos anos, mas o desemprego de jovens continua alto. No Nordeste, é de quase 20%.

Esses números, vale lembrar, são mais altos que os da PME, porque calcula a taxa em todo o Brasil, não só em seis regiões. Portanto, não são comparáveis. Essa é uma pesquisa cuja implantação vem sendo feita cuidadosamente há anos, porque se trata de passar a ter dados de 211 domicílios em 3.500 municípios sobre vários indicadores. Mas a ex-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, hoje chefe da tropa de choque do governo no Senado, reclamou da margem de erro nos dados de renda, e a pesquisa foi suspensa. Segundo funcionários do órgão, sem consulta ao corpo técnico. Marcia Quintslr, diretora da pesquisa, pediu demissão do cargo e outros coordenadores ameaçaram segui-la. 

O IBGE tem um histórico de resistência a qualquer interferência em questões técnicas. A presidente é também funcionária do Instituto e explicou que não houve interferência. O IBGE, que resistiu à interferência no governo Sarney, resistiu aos cortes absurdos do orçamento no governo Collor, mantém sempre sua independência quando há alguma tentativa de intervenção.

O instituto é valioso demais para o Brasil e sobre sua independência não pode pairar qualquer dúvida. A torcida é para que tudo se esclareça e a senadora fique longe do instituto de estatísticas que tem 80 anos de bons serviços prestados ao Brasil.

Fonte:
http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2014/04/11/crise-do-ibge-assusta-os-que-querem-orgao-independente-530793.asp

Iiih, deu fronho! Fumbou! Se foi o boi com as corda!

Isso só pode ser coisa do Palhaço do Satanás,do Cramunhão, do Capeta, do Coisa Ruim, do Tranca Street maldito!
O cabeçalho do blog vai ficar de ponta-cabeça até resolverem a crise!

Crise no IBGE? Sinal del Payaso del Satan! Sai zica!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

DIEESE/FEE - Carta que eu recebi

Referente a Pesquisa de Emprego e Desemprego realizado pelo DIEESE em conjunto com a FGTAS, FEE e governo do RS.


Bom, vamos tentar respondê-la com a precisão atômica e nanométrica de um cirurgião russo gelado da Criméia! 

sexta-feira, 4 de abril de 2014

IBGE - Almoxarifado

Materiais necessários que eu vi na Unidade Estadual-RS em Porto Alegre para se fazer a PME e PNAD no caso:

-Coletes reciclados e reestampados dos Censos 2007 e 2010 (por cima as siglas PME e PNAD);
-PDA estilo tijolão (computador de mão) do Censo 2007;
-Caixas e caixas de folhas de ofício para imprimir listas de endereços e mapas de setores a ser pesquisado, bilhetes, cartas de comparecimento e recusa;
-Canetas (a maioria delas vagabundas e não escrevem, ou seja, inúteis). As canetas que eu ganhei do IBGE botei no lixo, pois não escreviam, né?!
-Protetores de tela plástico para os PDAs
-Canetas de plástico para o PDA (seguidamente a ponta quebrava, logo eu usava um apontador de lápis comum e problema resolvido);
-Clipes;
-Grampos;
-Tinta de impressora;
-Cola (para colar envelopes para cartas)
-Caixas de folders explicativos das pesquisas PNAD Anual, Contínua e PME;
-Agendas do ano vigente;
-Calendários;
-Manuais de treinamento para os APMs entrevistadores.
-Pincel atômico;
-Pó de café Mellita;
-Açúcar;
-Caixas com mapas do Brasil para distribuir aos entrevistados.


Eu de camisa vermelha "e a cachaça na mão, o IBGE me espera...", o chefe da PME de pé com um copo de café na mão (passou a ser meu supervisor direto depois) e um ex-colega descarregando dados na mesa ao lado. E somente o maluco do meu ex-chefe para ler revistas do tipo "Minha Novela, TV, Diário Gaúcho Novelas..." como essas revistas na mesa aí!

É nesse local pra onde vão os dados referente à Pesquisa Mensal de Emprego feita em POA e região para crítica, análise e correção de erros. Em outros setores da UE, são descarregados os dados do Censo de todas as 497 cidades do RS (da Barra do Quaraí a Torres e do Chuí a Alpestre) e PNAD Anual e Contínua de todo o estado.

Para mim nunca faltou material para trabalhar na rua. Porém o PDA era antigo, seguidamente travava principalmente em dias quentes e quando o cartão de memória estava muito lotado de entrevistas feitas (uma vez descarreguei entrevistas de 35 casas de uma só vez, com famílias variando de 1 a 6 pessoas) me obrigando a fazer algumas entrevistas no papel, pois já tinha decorado as principais perguntas do questionário da PME.
O almoxarifado era uma pequena peça na UE, onde todo mundo poderia pegar o material que precisasse para o serviço (secretária, supervisores e entrevistadores).
Os APMs e supervisores contribuíam com R$ 3 ao mês para o cafezinho. Quem não tomava café, não contribuía.

quinta-feira, 27 de março de 2014

IBGE - Censo de 1980

Exame de seleção para o Censo de 1980 realizado nas dependências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

 O então Presidente da República João Baptista Figueiredo sendo recenseado.

 Equipe de servidores que realizaram o curso de treinamento para o censo agropecuário de 1980 na Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE).



 Censos econômicos de 1980: resolvendo dúvidas dos informantes.

 Máquinas perfuradoras IBM usadas no Censo de 1980.

Da esquerda para direita, Isaac Kerstenetzky (1º), então presidente do IBGE, reunido com autoridades de Taubaté (SP), por ocasião do censo demográfico experimental naquela cidade.

segunda-feira, 24 de março de 2014

IBGE PSS 2014 - Notas

Português - 14 acertos de 20 = 28 pontos
Geografia - 10 acertos de 15 = 20 pontos
Raciocínio Lógico - 5 acertos de 10 = 7,5 pontos
Conhecimentos Gerais - 11 acertos de 15 = 11 pontos

Total: 66,5 pontos de 100
Total de acertos: 40 de 60

Questões duvidosas pra mim: 35 e 44.

Em 2009 quando eu entrei pela 1ª vez:

Nº de inscritos: 578
Nº de vagas: 25
Concorrência: 23,12 cand./vaga (sem descontar abstenção)
Nota: 66,5
Classificação: 14º

A prova foi tão mal elaborada na época que anularam 4 questões ao todo.

Mais informações:
http://www.consulplan.net/concursosInterna.aspx?k=5MAISnjtxFdv3k=