terça-feira, 28 de outubro de 2014

Receita VI - Bolo de fubá

Ingredientes

02 copos de fubá;
01 copo de farinha de trigo;
01 copo de óleo;
02 copos de leite;
1 1/2 copo de açúcar;
03 ovos;
01 colher (sopa) de fermento em pó.

* copo americano

Preparo

Bater tudo no liquidificador, exceto o fermento.
Acrescentar o fermento e mexer até dissolver completamente.
Untar uma assadeira grande com buraco no meio e polvilhar com farinha de trigo.
Levar ao forno recém ligado, quando começar a esquentar.
Manter a temperatura do forno fogo em temperatura média.
Assar aproximadamente 20 minutos.

http://www.iserv.com.br/culinaria/Bolo_de_fuba_792.asp#ixzz3HSKE24TJ

Receita V - Filé à parmeginana

Ingredientes

10 bifes filé mignon
1 xícara de farinha de trigo
2 ovos
1 pitada de sal
farinha de rosca
1 lata de extrato de tomate
1 pitadinha de açúcar
10 fatias de mussarela

MODO DE PREPARO

Para a milanesa:

Corte o filé em bifes não muito finos (por favor não bata) e tempere-os a gosto
Passe os bifes na farinha de trigo
Bata ligeiramente os ovos (dois ou mais) com uma pitadinha de sal e passe os bifes nessa mistura
Passe os bifes na farinha de rosca
Faça com que a massa fique bem aderida aos bifes
Frite os bifes, deixe-os em papel toalha para que sequem bem e coloque-os em uma forma refratária

Montagem:

Faça um molho com extrato de tomate e uma pitadinha de açúcar e coloque sobre os filés
O melhor sempre será o seu próprio molho de tomates
Cubra-os com as fatias de mussarela e coloque no forno por aproximadamente 10 minutos
Pessoalmente prefiro queijo prato e recomendo polvilhar bastante queijo parmesão ralado, antes de gratinar
Para acompanhar batatas fritas bem douradas e arroz branco
Fica uma delícia!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Receita IIII - Bolo Floresta Negra


Tempo: 3h
Rendimento: 20 Porções
Dificuldade: Fácil

Ingredientes
8 ovos (claras e gemas separadas)
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de fermento em pó 
Margarina e farinha de trigo para untar


Recheio:
1 xícara (chá) de calda de cerejas
3 xícaras (chá) de chantilly pronto
1 xícara (chá) de cerejas  picadas

Cobertura:
1 lata de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
300g de raspas de chocolate ao leite
1 xícara (chá) de cerejas

Modo de preparo
Na batedeira, bata as claras em neve. Acrescente as gemas e o açúcar, batendo a cada adição. Retire da batedeira e misture delicadamente a farinha, o chocolate e o fermento. Coloque em uma fôrma de 30cm de diâmetro untada e enfarinhada. Asse por 30 minutos ou até que ao enfiar um palito, ele saia limpo. Desenforme, deixe esfriar e corte ao meio. Umedeça uma parte do bolo com a calda de cereja, espalhe o chantilly e salpique as cerejas picadas. Coloque a outra parte de bolo e umedeça com o restante da calda. Em uma panela, leve ao fogo médio o leite condensado, a manteiga e o chocolate em pó, mexendo sempre, por 10 minutos ou até soltar da panela. Deixe esfriar, cubra o bolo, decore com as raspas de chocolate e as cerejas. Sirva gelado.

Colaboradores
Culinarista: Mirian Soro/colaboradora
Foto: Codo Meletti

Receitas III - Básicas

Gelo

Ingrediente:

-Água

Modo de preparo

-Colocar água na forma de gelo e levar ao congelador ou freezer por 2h até 6h, dependendo da potência da geladeira ou freezer. Manter em temperatura abaixo de 0°C, senão vira água novamente, a não ser que vá usá-lo.

Ovo frito:

-Colocar um pouco de óleo numa frigideira anti-aderente e logo em seguida, quebrar o ovo. Tampar a frigideira e deixar fritar até a clara ficar branca. A gema vai do gosto do freguês. Dá pra fazer o mesmo com água, deixando ferver e colocando vinagre na água antes de colocar o ovo.

Arroz branco:

-Lavar a quantidade desejada de arroz, fritar em óleo quente de 5 a 10 min, colocar sal a gosto e colocar cerca de 2 dedos de água fria de altura a cima do arroz frito. Deixar cozinhar até secar a água e panela fechada por uns 5 minutos antes de servir.

Batata frita

-Descascar, cortar as batatas e deixar de molho em água com vinagre ou álcool por uns 20 min. Retirar da água e fritar em óleo bem quente até dourar. Retirar as batatas do óleo e colocar em papel absorvente a fim de eliminar o excesso de gordura.

Leite fervido no fogão convencional

-Colocar o leite numa leiteira, levar ao fogo e deixar esquentando até começar a subir e apagar o fogo. Cuidar para não deixar o leite subir demais e transbordar a leiteira sujando o fogão, pois é muito chato de limpar fogão sujo de leite derramado. Mas aqui em casa, isso é coisa do século passado, pois temos forno microondas para isso.

Pipoca salgada tradicional

-Colocar um pouco de óleo numa panela de alumínio ou pipoqueira, colocar o milho de pipoca, tampar a panela e deixar estourar os milhos até cerca de 5 segundos após o último estalo sacudindo a panela de vez em quando a fim de estourar o máximo de milho possível. Colocar sal a gosto e servir (principalmente para ver o Brasil levar de 7 x 1 da Alemanha em casa).

Receita II - Panqueca de carne moída



ingredientes

Para a Massa:
1 e ½ xícara de chá de farinha de trigo
1 xícara de chá de leite
2 ovos
4 colheres de sopa de óleo
Sal a gosto

Para o Recheio:
300 gramas de carne moída
2 colheres de sopa de cebola picadinha ou ralada
½ tomate cortado em cubos
½ lata de extrato de tomate
1 caixinha de creme de leite
Sal a gosto
400 gramas de mussarela fatiado
Queijo ralado a gosto

modo de preparo

Para a Massa:
Coloque no liquidificador os ovos, o leite o e óleo, bata durante alguns minutos, acrescentando aos poucos a farinha de trigo
Após colocar toda a farinha de trigo coloque sal a seu gosto
A massa deve ficar pastosa não muito grossa
Com um papel toalha espalhe óleo por toda a frigideira
Se tiver uma frigideira antiaderente melhor
Pegue uma concha (essas conchas de servir feijão) ela vai servir como medida
Cada concha vai equivaler a uma panqueca
Despeje no meio da frigideira e vá girando, espalhando a massa de uma forma uniforme por todo o fundo da frigideira
Você irá reparar que as bordas da massa irão se soltando, quando toda a massa se soltar da panela está no ponto de virar
Cuidado para que a massa não fique grossa
Quanto mais fina mais gostosa ela fica

Para o Recheio:

Doure a cebola com o óleo e depois acrescente a carne
Deixa a carne dar uma fritadinha
Você irá notar que da carne sairá água, quando isso acontecer, tampe a panela e deixa cozinhar ate que a água diminua
Acrescente então o tomate picadinho e tampe novamente, deixe mais uns 3 minutos e depois mexa um pouco
Lembre-se sempre que o fogo tem que estar em temperatura média
Acrescente o extrato de tomate e seus temperos
Fica a seu critério, podendo usar qualquer tipo de tempero
Deixe então cozinha por mais ou menos uns 10 minutos mexendo de vez em quando
Quando você perceber que o molho estiver engrossando desligue e deixe esfriar um pouco
Importante lembrar que não pode acrescentar o creme de leite com o molho muito quente pois pode cortar o creme de leite e estragar todo o molho, por isso não esqueça de deixa esfriar um pouco
Após esfriar o molho acrescente o creme de leite e misture bem
Quando estiver bem homogêneo leve novamente ao fogo e deixe cozinhar em fogo baixo por mais uns 5 minutos
O molho ficará meio fino, com impressão que tem muita água, mas é assim mesmo que tem que ficar
Depois você vai perceber porque que tem que ficar assim

Para Montar:
Pegue as panquecas, coloque uma fatia de mussarela e uma porção de carne e enrole
Faça esse processo com todas as panquecas
Jogue um pouco de caldo no fundo de um refratário para untar
Coloque as panquecas já prontas no refratário e despeje sobre elas o resto do molho
Polvilhe sobre as panquecas queijo ralado
Leve ao forno pra gratinar em fogo médio por mais ou menos 15 a 20 minutos ou até ferver o molho e derreter o queijo
Nessa etapa de gratinar você irá notar q a massa vai absorver o molho e vai ficar ainda mais gostosa
Por isso que o molho não pode ficar muito grosso, por que se ficar a massa irá absorver todo o molho e o prato vai ficar com um aspecto de seco

Dicas práticas
Fonte: Tudo Gostoso

Receita I - Mousse de limão



Bom, chega de falar de greve, sindicato, luta, palhaço Tranca Street e o escambau, pois acho que não vale mais a pena, já que a greve terminou faz 2 meses. Luta pra mim só de MMA, de box ou judô. Vamos às receitas culinárias:

Ingredientes

1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1/2 copo de suco puro de limão  
Bis de limão (opcional)

Modo de preparo:

Bata no liquidificador o leite condensado e o creme de leite por 3 minutos.
Acrescente aos poucos o suco de limão
Coloque em um refratário ou em taças individuais.
Quebre o Bis e coloque no fundo do recipiente ou simplesmente para decorar na hora de servir.
Leve à geladeira e sirva gelado.

Dicas práticas
Fonte: Jamieoliver

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

PNAD - Glossário e conceitos

A

Agregado:
Pessoa que não é parente da pessoa de referência na unidade domiciliar ou do seu cônjuge e não paga hospedagem nem alimentação na unidade domiciliar.

Apartamento:
Domicílio localizado em: edificação de um ou mais pavimentos, com mais de um domicílio particular permanente, que tenha espaços comuns a mais de uma moradia (vestíbulo, escada, corredor, portaria e outras dependências); edificação com dois ou mais pavimentos com mais de um domicílio particular permanente e entradas independentes para os andares; ou edificação com mais de três pavimentos onde as demais unidades sejam não-residenciais.

C

Casa:
Domicílio que: ocupe totalmente uma ou mais edificações de um ou mais pavimentos; ou ocupe parte de uma edificação de um pavimento que não tenha espaços comuns (vestíbulo, escada, corredor, portaria e outras dependências) a outro(s) domicílio(s) particular(es) permanente(s) localizado(s) no mesmo prédio.
Considera-se, também, como casa, o domicílio localizado em prédio assobradado ou de, no máximo, três pavimentos, onde haja outras unidades que não sejam domicílios particulares permanentes. Por exemplo, o prédio que tenha uma padaria no primeiro pavimento e um domicílio particular permanente no segundo pavimento, ou um prédio pavimento e um domicílio particular permanente no segundo pavimento, ou um prédio com três andares que tenha lojas no primeiro e segundo pavimentos e um domicílio particular permanente no terceiro pavimento;

Coletivo:
Unidade de habitação em domicílio coletivo.

Cômodo:
Domicílio localizado em um ou mais cômodos, de uma casa de cômodos, cortiço, cabeça-de-porco etc.

Cônjuge:
Pessoa que vive conjugalmente com a pessoa de referência na unidade domiciliar, existindo, ou não, o vínculo matrimonial;

D

Dependência doméstica:
Relação estabelecida entre a pessoa de referência e os empregados domésticos e agregados da família.

Domicílio:
É o local que se destina a servir de habitação a uma ou mais pessoas, ou que esteja sendo utilizado como tal.

Domicílio Coletivo:
Moradia onde prevalece o cumprimento de normas administrativas.

Domicílio Particular:
Moradia onde o relacionamento é ditado por laços de parentesco, de dependência doméstica ou por normas de convivência.

Domicílio Particular improvisado:
Domicílio particular localizado em unidade que não tenha dependência destinada exclusivamente à moradia, como, por exemplo, a situada em loja, sala comercial etc. Também é improvisado o domicílio particular localizado em prédio em construção, embarcação, carroça, vagão, tenda, barraca, gruta etc.

Domicílio Particular permanente:
Domicílio particular localizado em unidade que se destina a servir de moradia, ou seja, em casa, apartamento ou cômodo, independentemente do material utilizado em sua construção, como, por exemplo, uma casa construída utilizando a estrutura de um viaduto como cobertura e empregando madeira aproveitada de embalagens nas paredes externas, será classificada como domicílio particular permanente, uma vez que se destina à moradia.

E

Empregado doméstico:
Pessoa que presta serviços domésticos remunerados em dinheiro ou somente em benefícios, a membro(s) da unidade domiciliar.

F

Família:
O conjunto de pessoas ligadas por laços de parentesco, dependência doméstica ou normas de convivência, que more na mesma unidade domiciliar ou pessoa que more só em uma unidade domiciliar.

Famílias conviventes:
Famílias de, no mínimo, duas pessoas cada uma, que residam na mesma unidade domiciliar.

M

Morador:
Pessoa que tem a unidade domiciliar (domicílio particular ou unidade de habitação em domicílio coletivo) como local de residência habitual, na data da entrevista.

N

Normas de convivência:
Regras estabelecidas para o convívio de pessoas que morem juntas, sem estarem ligadas por laços de parentesco ou dependência doméstica.

O

Ocupação:
É o cargo, função, profissão ou ofício que a pessoa exercia.

Outro parente:
Pessoa que tiver qualquer grau de parentesco com a pessoa de referência na unidade domiciliar ou com o seu cônjuge, exclusive aqueles relacionados anteriormente.

P

Parente do empregado doméstico:
Pessoa que é parente do empregado doméstico e não presta serviços domésticos remunerados a membro(s) da família.

Pensionista:
Pessoa que não é parente da pessoa de referência na unidade domiciliar nem do seu cônjuge e paga pela sua hospedagem e/ou alimentação na unidade domiciliar.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD:
De caráter amostral obtém informações anuais sobre características demográficas e socioeconômicas da população, como sexo, idade, educação, trabalho e rendimento, e características dos domicílios, e, com periodicidade variável, informações sobre migração, fecundidade, nupcialidade, entre outras. Temas específicos abrangendo aspectos demográficos, sociais e econômicos também são investigados.

Pessoa de referência:
Pessoa responsável pela unidade domiciliar ou que assim for considerada pelos demais moradores.

Pessoas desocupadas:
São classificadas como desocupadas as pessoas sem trabalho que tomaram alguma providência efetiva de procura de trabalho no período de referência especificado (semana de referência ou período de referência de 365 dias).

Pessoas economicamente ativas:
São classificadas como pessoas economicamente ativas, as pessoas que no período de referência especificado (semana de referência ou período de referência de 365 dias) eram consideradas como pessoas ocupadas ou desocupadas nesse período.

Pessoas não economicamente ativas:
São classificadas como pessoas não economicamente ativas no período de referência especificado (semana de referência ou período de referência de 365 dias) as pessoas que não foram classificadas como ocupadas nem desocupadas nesse período.

Pessoas ocupadas:
São classificadas como ocupadas no período de referência especificado (semana de referência ou período de referência de 365 dias) as pessoas que tinham trabalho durante todo ou parte desse período. Considera-se, ainda como ocupadas as pessoas que não exerceram o trabalho remunerado que tinham no período especificado por motivo de férias, licenças, greve etc.

T

Trabalho:
Ocupação remunerada em dinheiro, produtos, mercadorias ou benefícios (moradia, alimentação, roupas etc.) na produção de bens ou serviços; ocupação remunerada em dinheiro ou benefícios (moradia, alimentação, roupas etc.) no serviço doméstico; ocupação sem remuneração na produção de bens e serviços, desenvolvida durante pelo menos uma hora na semana; e ocupação desenvolvida, durante pelo menos uma hora na semana.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

IBGE - Última PNAD Anual e fim da PME

IBGE confirma última Pnad em 2014 e afirma: 'greve não influenciou'

Divulgação ocorrerá em 2015; Pnad Contínua irá substitui Pnad e PME.
Presidente explicou que realização será necessária para que se conclua ciclo.

A presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Wasmália Bivar, confirmou a realização da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) em 2014 – com divulgação em 2015 -  e afirmou que a greve dos servidores que durou 77 dias não influenciou decisão. O órgão havia declarado que a divulgação da Pnad 2013 - que ocorreu na manhã desta quinta-feira (19) - seria a última.

“Não, a greve não teve nenhuma influência nessa decisão. O IBGE procura fazer as suas decisões o mais técnico possível. Nós temos uma interlocução muito próxima dos nossos usuários e o que nós ouvimos o tempo todo é que nós teríamos que fazer uma Pnad esse ano para encerrar esse ciclo de gestão do Governo Federal”, afirmou Wasmália durante a divulgação da Pnad 2013.
Em abril, o instituto decidiu suspender até janeiro de 2015 a divulgação dos resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), lançada para substituir a tradicional Pnad anual e a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), através de uma metodologia mais abrangente. No entanto, voltou atrás em maio.

À época, por causa da suspensão da divulgação, a diretora de Pesquisa IBGE, Marcia Quintslr, pediu exoneração do cargo. Marcia comandava uma das 4 diretorias do IBGE, que em conjunto com 3 coordenadores compõem o conselho diretor do instituto, e discordou da decisão.Técnicos do instituto também protestaram contra a suspensão, e propuseram entrar em greve.
Wasmália explicou que a realização da Pnad em 2014 será necessária para “que se possa ter uma análise completa”. “Se não, ela ficaria incompleta porque entraria outra pesquisa que não tem uma comparatividade com o passado. Iniciando novo ciclo de gestão, só sim pode começar com novos indicadores, que é a Pnad Contínua, que vai substituir a Pnad”, completou.

Pnad, PME e greve

No começo de setembro, Wasmália havia declarado que a Pesquisa Mensal de Emprego e a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) não seriam interrompidas enquanto a “Pnad Contínua - que consolida as duas pesquisas - não estiver produzindo o seu indicador equivalente”. Na ocasião, o IBGE acrescentou, no entanto, que em seus planos estava previsto que a última divulgação da Pnad aconteceria em setembro de 2014.
"No Rio Grande do Norte, Amapá, Paraíba, temos alguns estados que a produção praticamente parou [por causa da greve]. A equipe do Rio de Janeiro também parou no período da greve. A PME não vai ser interrompida. No nosso projeto, a Pnad prevista para setembro será a última. Mas com a garantia que será cancelada”, afirmou.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/09/ibge-confirma-ultima-pnad-em-2014-e-afirma-greve-nao-influenciou.html

domingo, 19 de outubro de 2014

PNAD - Fração global de amostragem

A partir de 2001, a PNAD adotou as seguintes frações de amostragem para as Unidades da Federação e Regiões Metropolitanas, sendo que a partir de 2004, com a investigação da área rural de Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Pará e Amapá
foram definidas frações de amostragem específicas para a área rural dessas Unidades da Federação:

• 1/50 – Roraima (área rural);
• 1/80 – Acre (área rural) e Amapá (área rural);
• 1/150 – Acre (área urbana), Roraima (área urbana), Rondônia (área rural) e Região Metropolitana de Belém;
• 1/200 – Rondônia (área urbana), Amazonas (área rural), Amapá (área urbana), Tocantins, Distrito Federal e Regiões Metropolitanas de Fortaleza, Recife, Salvador e Porto Alegre;
• 1/250 – Amazonas (área urbana) e Pará (área rural);
• 1/300 – Sergipe, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás;
• 1/350 – Pará (área urbana), Regiões Metropolitanas de Belo Horizonte e Curitiba;
• 1/400 – Rio de Janeiro;
• 1/450 – Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Bahia e Espírito Santo;
• 1/500 – Piauí, Ceará, Pernambuco;
• 1/ 550 – Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Região Metropolitana do Rio de Janeiro;
• 1/750 – Maranhão; e
• 1/800 – São Paulo e Região Metropolitana de São Paulo.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

IBGE - Escola Virtual


Serve para o treinamento e capacitação de nós APMs entrevistadores para compreender e ter uma noção dos conceitos que envolvem a pesquisa, como domicílios e tipos, pessoa moradora, família, os quesitos da PNAD... e o próprio IBGE. Primeiro tem um treinamento em EAD e depois o presencial durante 5 dias.

Objetivos do Módulo 1 do curso com a figura do PDA MIO tijolão 2007

 Certa resposta! Palmas do auditório! Agora, pergunta valendo meio milhão de reais!

Errei isso? Que burro! Dá zero pra mim! Que pena! Ganhei apenas R$ 200 mil!

Na PME eu não tive esse tipo de treinamento virtual. Somente o presencial.